Olhão – 4 Elementos a galeria que mostra as artes do Algarve

Célia Mendes é ceramista há mais de dez anos. Percorreu feiras de artesanato com a sua arte «que foge ao tradicional». Em Maio de 2014 abriu, em Olhão, a «4 Elements cerâmica e azulejo – oficina e galeria». Um espaço onde Célia expõe o seu trabalho a par de outros artistas algarvios. Na oficina recebe quem quiser vê-la a trabalhar porque as visitas «são um incentivo».

Sara Pelicano | quarta-feira, 19 de Novembro de 2014
4elementos002
Na Alemanha, onde viveu parte da juventude, Célia  Mendes aprendeu a pintar em vidro e cerâmica.  Começou assim um caminho ligado às artes que nunca  mais deixou. Regressou a Portugal, a Faro, e, num  momento em que estava sem trabalho e inscrita no  centro de emprego, este desafiou-a a fazer um curso  de cerâmica. «Acabei por fazer dois», recorda Célia.
Assim começou novamente «a meter a mão na massa», aquilo de que mais gosta, confessa a artista. Paralelamente, Célia lançou-se na venda das suas peças em feiras de artesanato. «Comecei por ver o que estava a ser feito e fiquei contente por perceber que as minhas peças eram diferentes», diz-nos a ceramista enquanto trabalha uma pasta argilosa num tom cinzento claro.O espaço que a artista ocupava com a sua oficina em Faro teve de ser abandonado. Célia afastou-se do barro alguns anos. «Tive um café com arte, um espaço hoteleiro onde havia sempre uma exposição», partilha a criadora.
O projecto de hotelaria e arte encerrou portas em 2013 e rapidamente Célia retomou a cerâmica. Mudou-se para Olhão e abriu a «4 Elementos cerâmica e azulejo – oficina e galeria», na Rua Capitão João Carlos Mendonça, número 27.

A porta desta casa no centro da localidade algarvia dá acesso a um mundo de artistas locais que utilizam diferentes materiais para transmitir o que lhes vai na alma. Há trabalhos feitos em feltro, cortiça, barro. Outra pequena porta, ao fundo da galeria, dá acesso à oficina de Célia.É aqui que a encontramos de lenço na cabeça para afastar qualquer cabelo do rosto que possa incomodar o processo criativo. De mãos sujas com o barro, como gosta, cumprimenta com um sorriso rasgado. «Isto que estou a fazer é uma experiência. Pediram-me um peixe e não quero fazer um peixe comum. Vamos ver o que sai», explica a artista.

Os visitantes da 4 Elementos podem entrar na oficina e são bem-vindos porque até são um «incentivo» para Célia que tenta «fugir do tradicional e criar peças novas».

As suas peças ficam quase sempre com as tonalidades das várias pastas de argila que utiliza para fazer os seus azulejos com desenhos em relevo. Alguns azulejos funcionam em conjunto, peça por peça, como se fosse um enorme puzzle.  Nascem, desta forma, os painéis.

A galeria e oficina foram inauguradas em Maio de 2014 e o balanço «é muito positivo». Os visitantes são portugueses e turistas estrangeiros, mas os compradores são sobretudo estes últimos. «O português entra mais por curiosidade. O estrangeiro percebe a alma de arte da galeria e compreendem melhor o preço da arte», conta Célia que trabalha todos os dias entre ás 9h00 e ás 19h00.  4elementos004

editado por http://www.cafeportugal.pt

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s